Home

Nebraska-2013-Poster

Após ver Nebraska, fiquei pensando no quanto a vida humana, por mais simples que esta seja, tem pra oferecer a roteiros de filmes, livros, etc. Um grandioso e infinito laboratório de comportamentos, sentimentos, relacionamentos, e principalmente, humanidades.

Nebraska traz a história de um homem idoso, que após receber uma correspondência de uma revista, dizendo que ele havia ganho um premio de um milhão de dólares, tenta à todo custo partir de Montana, ( a cidade em que vive), em direção à Lincoln (ambas no estado americano de Nebrasca) para retirar pessoalmente o seu milhão.

Bruce Dern faz o papel Woody, o idoso “ganhador” do premio, um homem que nunca conseguiu se dar muito bem financeiramente na vida, com problemas com álcool, uma esposa que só faz reclamar e dois filhos bem diferentes entre si.  Convicto da veracidade da carta, Woody faz inúmeras tentativas de ir a pé até Lincoln, o que acaba fazendo com que um de seus filhos, o leve de carro.Nebraska2

O filho em questão é David ( Will Forte ), um vendedor de uma loja de aparelhos de som, sem muitas aspirações na vida, que resolve faltar no emprego e levar o pai de carro até Lincoln. David por sinal, tem alguns aspectos parecidos com o do pai, que disse à ele que só casou com sua mãe porque gostava de transar…Como jamais propôs casamento à sua ex-namorada, esta o deixou e agora o que ele mais sente falta é mesmo o sexo…Tal qual o pai.

Juntos, ambos fazem uma viagem onde David passa a conhecer cada vez mais do pai, ao tomar contato com amigos, ex-namoradas, parentes, enfim, o pai que ele conhecera antes da viagem, passa a revelar um passado muito diferente do qual ele imaginava. Essa proximidade faz com que laços se tornem mais fortes, ainda mais quando juntam-se à eles, a mãe (June Skibb) e o irmão Ross (Bob Odenkirk, o inesquecível Saul Goodman de Breaking Bad).

O humor é de uma sutileza absurda. São inúmeras cenas que nos fazem rir, principalmente quando Woody e sua esposa estão presentes, com destaque para a cena em que June Skibb visita o cemitério da  cidade em “respeito” ao mortos. NEBRASKA

Além do finíssimo humor, ainda temos boas reflexões sobre questões como ambição, escolhas, família. Bastaram menos de 20 minutos de filme para que minha esposa recordasse de seu pai falecido, assim como eu também recordei em muitos momentos do meu ,também já falecido.

De certa forma, é triste notar a relação de nossa vida como uma  letra de uma música do Humberto Gessinger que diz : “nossos sonhos são os mesmos, mas não há mais tanto tempo pra sonhar…”. Ainda mais quando aprofundamos os pensamentos sobre o que nós somos, o que construímos e o que deixamos de construir ao longo de nossa existência.

O filme ainda é “classudo” em aspectos técnicos, como a uma belíssima fotografia, onde o P&B transformam as tomadas em verdadeiras pinturas,e  uma triha sonora que parece acompanhar simetricamente cada cena.

nebraska4

Eu poderia ficar  escrevendo linhas e mais linhas do quanto Nebraska merece ser visto e revisto, mas acho que descobrir o filme é a melhor maneira de curtí-lo por inteiro….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s